Santuário Ecológico Rancho dos Gnomos: um objetivo, várias formas de ajudar!

O Santuário Ecológico Rancho dos Gnomos​ está no ar com uma campanha chamada #copodegelocqc idealizada pelo programa de televisão CQC na Band​. A ação vem com o intuito de alavancar as doações na plataforma de crowdfunding em que a campanha está inserida. A meta de arrecadação é de um milhão e duzentos mil reais, onde eles poderão mudar a sede do Santuário e possibilitar que o trabalho de acolhimento de animais, vítimas de crimes ambientais, seja aprimorado e ainda mais efetivo em seus propósitos. Confira o vídeo da campanha de arrecadação:

Para realizar a doação acesse este link:
http://www.kickante.com.br/campanhas/santuario-animal

Além desta campanha, é possível ajudá-los através do canal Doe criado pelo maior portal vegano do Brasil, o Vista-se​. A plataforma possibilita você colaborar mensalmente com o projeto, por apenas R$ 2,99, contribuindo desta forma com um pequeno valor mensal, mas que faz uma imensa diferença para suprir suas necessidades financeiras. Conheça um pouco mais sobre esta outra forma de contribuir com esta causa:

Para doar, acesse:
http://www.vista-se.com.br/doe/#rancho

Existem inúmeras formas de ajudar o próximo, basta querer! 🙂

Por Karina Giardelli, Ana Paula Talavera e Julio Sena

 

#2 Fazendo o bem, criando bem: Projeto ENTÃO, VOCÊ AMA OS ANIMAIS?

“A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo”, já dizia o queridíssimo Nelson Mandela. Sem ela, ficamos refém da intolerância, egoísmo e desamor que o mundo vive atualmente. Por isso, acreditamos em projetos consistentes que podem efetivamente sensibilizar e transformar pessoas através do bem. Mais uma vez, o Instituto Nina Rosa – projetos por amor à vida contou com o nosso trabalho e a parceria da produtora Curta a Ideia para dar voz aos animais através da campanha de financiamento colaborativo Então, você ama os animais?

O objetivo principal é captar recursos utilizando a plataforma de crowdfunding Catarse, para financiar a edição brasileira do livro “So, you love animals” da autora Zoe Weil, educadora humanitária, cofundadora e presidente do Institude For Humane Education nos EUA.

O livro, de aproximadamente 200 páginas, é envolvente e vai ajudar jovens e crianças com fatos, jogos, dramatizações, experiências e atividades emocionantes, capacitando-os a fazer a diferença e a se tornarem mais humanitários. Vem com a gente salvar vidas!

ASSISTA AO VÍDEO:

COLABORE COM A CAMPANHA:

Então, você ama os animais?

Por Ana Talavera

 

#1 Fazendo o bem, criando bem: Projeto VISTA-SE

Parte do Projeto Social dos CRIATIVOS DO BEM é acreditar em uma mudança consistente de um grupo quase sempre esquecido por nós humanos: os animais.

Projeto DOE

Junto com o maior portal vegano de notícias do Brasil, o Vista-seproduzimos 4 vídeos de organizações sem fins lucrativos para ajudar a divulgar seus respectivos trabalhos, focados em transformar positivamente a vida de milhares de animais! A Direção e Edição ficou por conta do Julio Sena, Direção de Arte por Leandro Bianchi, a Produção pela Ana Talavera com assistência de nossa jovem aprendiz Yolana Medina. 

Projeto DOE - Felinos

A página DOE é inédita (www.vista-se.com.br/doe) e une em um único lugar projetos e instituições beneficentes da causa animal. O objetivo principal é simplificar a ligação entre os admiradores e as próprias organizações. Para colaborar basta clicar no botão indicado da ONG que você quer doar e que com apenas R$ 2,99 por mês você já está contribuindo para um projeto do bem 🙂

Projeto DOE - Rancho dos Gnomos Projeto DOE - Rancho dos Gnomos

O Instituto Nina Rosa – projetos por amor à vida, Associação Natureza em Forma Centro de Adoção, Santuário Ecológico Rancho dos Gnomos e a Associação Espírita de Amigos dos Animais foram as instituições que nos abriram as portas e nos garantiram boas conversas, risadas – algumas lágrimas – mas acima de tudo esperança por um mundo melhor.

Assista aos vídeos:

Instituto Nina Rosa:

Associação Natureza em Forma:

Rancho dos Gnomos:

ASSEAMA: 

Por Ana Talavera

Um manifesto de amor a todos os felinos

Mais do que um apelo de amor aos felinos, a CATLAND- ADOÇÃO DE GATINHOS oferece por meio de ações efetivas como mutirões de castração, palestras e resgates, a adoção de gatos abandonados oferecendo a eles uma vida repleta de mimos até encontrarem um lar.

grafitenacatland

Com o auxílio de uma equipe de voluntários dispostos a dar sua contribuição para o controle populacional dos gatos de rua, o projeto independente Catland já ganhou o apoio de muita gente.

Recentemente o projeto recebeu apoio e foi divulgado na página de uma celebridade única: CANSEI DE SER GATO garantindo uma repercussão inesperada, propondo uma nova vida aos bichanos abandonados.

canseidesergato_catland

Seu manifesto de amor a todos os felinos pode ser visto aqui:

Ajude a Catland a realizar o sonho de ver todos os gatos livres dos maus tratos e abandono! Saiba mais sobre o projeto:

Site: http://www.catlandrescue.com.br/
Blog: http://catlandblog.wordpress.com/
Twitter: http://www.twitter.com/catlandrescue
Instagram: @catlandrescue

Por Ana Talavera

Iniciativa de estudantes chilenos fazem com que cachorros de rua se destaquem em meio à multidão na busca por atenção.

Na correria das grandes cidades, muitas coisas acabam passando desapercebidas aos nossos olhos. O que “dirá” então os animais de rua que muitas vezes são abandonados e desprovidos de toda atenção de que merecem.  Considerando este fato é que dois estudantes chilenos, Violeta Caro e Felipe Guzman, decidiram amarrar balões coloridos em cães de rua com mensagens simples, mas que traduzem tudo o que esses animais gostariam de pedir às pessoas tão apressadas: “Me abrace”, “Brinque comigo”, “Não me deixe” e “Não me maltrate”. Estoy aquí. Através desta simples ação, as pessoas enfim perceberam os animais e passaram a agir em relação aos pedidos escritos nos balões, fazendo a alegria dos cães que há muito tempo não sentiam este calor humano. Estoy aquí. Estoy aquí. Esta ação não proporcionou apenas o bem aos animais, mas também a quem estava doando este tempo e se distraindo com a brincadeira. Porém o mais importante foi o fato de se levantar essa questão sobre o abandono de animais domésticos nas ruas das metrópoles. É incabível que ainda hoje pessoas adquirem animais domésticos e após se cansarem da companhia simplesmente o descartem como objetos.  Assista o vídeo a seguir e veja esta bela iniciativa na prática. 😉 #criativosdobem Estoy aquí. Por Karina Giardelli

Vaquinhas saltitam de alegria pela liberdade e o direito de viver.

Um vídeo que emociona e nos faz pensar profundamente sobre o assunto, chegando a gerar empatia por essas amigas quadrúpedes.
     
Neste post não queremos falar sobre comer ou não comer carne. Acreditamos que ser ou não ser vegetariano é uma opção individual, mas preocupar-se sobre as questões que envolvem fazer o bem às pessoas, ao meio ambiente em que nos encontramos e pensar de maneira ecossocial, incluem também falar sobre o respeito com os animais.
     
Nosso interesse de falar sobre educação alimentar vai além dos seus  hábitos. Queremos que pense sobre como é produzido o alimento que chega à sua mesa. De que maneira usamos e abusamos de nossa superioridade intelectual e capacidade de se organizar em grupo para sucumbir às outras espécies de seres vivos do planeta. Que energia desprendemos nisso e qual energia recebemos de volta por isso. Queremos apenas levantar uma questão que se faz necessária a análise para refletirmos e, quem sabe num futuro próximo, chegar a soluções mais dignas a todos e a tudo.
     
Neste post divulgamos o trabalho de Anke Heublein, fundadora de uma ONG que dá liberdade e cuida até a morte natural das vaquinhas que deram leites e bezerros durante toda a vida, e que após se tornarem incapazes de continuarem nesta função são simplesmente descartadas, as vezes até de maneira violenta, por motivo dos custos em mantê-las.
     
É tocante o momento aos 0:45 segundos, quando a autora do projeto se emociona ao falar sobre o instante da liberdade dos animais, mostrando sua real essência e o que a moveu para tomar essa atitude.
 
Não se trata do que se deve ou não comer, trata-se do respeito à vida e a alma, tanto nossa como a dos outros animais.