Como transformar seu computador em uma estação de ciência e ajudar milhares de vidas

Quando criança sonhava em ser um super-herói e ajudar a defender as cidades dos monstros imaginários que minha mente criava. Com o passar do tempo percebi que seres humanos comuns também podem ser heróis: são bombeiros, policiais, médicos, enfermeiros, professores. Cresci e não me tornei nem um super-herói nem um “humano-herói”, mas conheci um projeto que transformou meu computador em uma verdadeira estação de ciência (digna da Liga da Justiça!), que estuda a cura de doenças como o câncer e o mal de Alzheimer!

Folding@Home

É isto que oferece o Folding@Home, um projeto de computação distribuída desenvolvido pela Universidade de Stanford. Os computadores usam, na maior parte do tempo, apenas 10% de sua capacidade de processamento, deixando o resto ocioso. É exatamente este “desperdício” que pode ser doado para o projeto, possibilitando que cálculos imensos sejam feitos de maneira mais rápida e eficiente, aumentando a velocidade de obtenção de informações sobre várias doenças, em busca de sua cura.

Folding@Home

Folding@Home

Quer saber como ter um computador-herói?! É fácil, você só precisa instalar um software (disponível para Windows, Macintosh e Linux) e o resto fica por conta dele. Simples assim! Seu computador fará simulações de enovelamento de proteínas e enviará os dados coletados para os servidores do projeto. Até o momento são 307.442 computadores pelo mundo inteiro trabalhando nestes cálculos, o que gera 45,198 Teraflops de dados! Mas não se preocupe, seu computador não ficará mais lento já que o software utiliza apenas o processamento ocioso disponível, sem afetar o uso do computador.  

Fiquei sabendo sobre este projeto no site Tecnoblog e entrei para o time deles, que está entre os 800 times que mais contribuíram no ranking do Folding@Home, veja o placar e junte-se a nós! Não tem prêmio para os primeiros colocados, a não ser um “muito obrigado!” por parte de todas as pessoas que serão beneficiadas pelas nossas máquinas!

Assista o vídeo:

Por Julio Sena

Um manifesto de amor a todos os felinos

Mais do que um apelo de amor aos felinos, a CATLAND- ADOÇÃO DE GATINHOS oferece por meio de ações efetivas como mutirões de castração, palestras e resgates, a adoção de gatos abandonados oferecendo a eles uma vida repleta de mimos até encontrarem um lar.

grafitenacatland

Com o auxílio de uma equipe de voluntários dispostos a dar sua contribuição para o controle populacional dos gatos de rua, o projeto independente Catland já ganhou o apoio de muita gente.

Recentemente o projeto recebeu apoio e foi divulgado na página de uma celebridade única: CANSEI DE SER GATO garantindo uma repercussão inesperada, propondo uma nova vida aos bichanos abandonados.

canseidesergato_catland

Seu manifesto de amor a todos os felinos pode ser visto aqui:

Ajude a Catland a realizar o sonho de ver todos os gatos livres dos maus tratos e abandono! Saiba mais sobre o projeto:

Site: http://www.catlandrescue.com.br/
Blog: http://catlandblog.wordpress.com/
Twitter: http://www.twitter.com/catlandrescue
Instagram: @catlandrescue

Por Ana Talavera

Sim, existe amor em SP!

Muito bom quando as pessoas percebem as pessoas, independente da cada situação. Quem dera nossa sociedade fosse constituída por mais indivíduos como o Rafael Vieira (fotógrafo) com sua sensibilidade e empatia, e porque não também como o Guilherme, com seu bom humor e humildade sincera, só que este na escola e tendo oportunidades.
Parabéns Rafael Vieira, o mundo precisa de mais criativos do bem como você.
 #sociedade #ecossocial #criativosdobem

Veja o texto do Rafael Vieira na íntegra:

Guilherme na rua.

“Guilherme veio a mim, pediu um cigarro. Desculpe Guilherme, eu não fumo (e você também não deveria, mas quem sou eu pra julgar?). Guilherme sentou um pouco longe, e, tremendo de frio, encolheu-se e cobriu-se com seu cobertor cor de vinho. Havia mais gente por ali, e ele tirava brincadeiras saudáveis, “meninas, como vocês estão bonitas. estou com fome, têm um trocado pra me dar?” e “tio me dá uma moeda” foram algumas das frases dele. Um grupo de moças estavam gravando um vídeo ali, e uma delas foi até uma lanchonete fast food. Voltaram e deram ao Guilherme um lanche. Ela ainda teve o carinho de abrir o canudo e colocar no copo de refri. Guilherme agradeceu e gritou “vão com Deus, meninas. Obrigado!”. Estavamos ali sentados ao lado, e Guilherme pediu “Tio, tira uma foto minha?”. Foi aí que eu senti: Guilherme era só um garoto, sem ter muito pra onde ir. Guilherme queria existir. “Tio, tira três? quero uma assim *click* outra assim *click*. Quero outra assim…” e tirei essa foto. Guilherme, 14 anos, me fez sentir: Existe amor em SP. Nesse dia, ele veio em forma de um garoto simples, que só queria três fotos. Guilherme me pediu “Tio, não apaga a foto não tá?”. Pra finalizar Guilherme disse “não sou de tirar foto não, mas hoje o dia tá lindo”.
Aqui está Guilherme, onde quer que você esteja, agradeço por ter aparecido ali, na praça. Se cuide guri, que seus caminhos sejam guiados para o bem.”

por Leandro Bianchi

Desapeguei: minha experiência com o projeto Cabelegria!

Quantas vezes você pensou em ajudar mas não soube exatamente como?
Os motivos são inúmeros: falta de tempo, de conhecimento, mas não de vontade.

Eu encontrei uma forma muito simples de colaborar com uma causa importante e absolutamente linda!

O Cabelegria nasceu para ser intermediador desta boa ação!

Tudo começa com a disposição e voluntariado das fundadoras Mariana Robran, designer e Mylene Duarte, publicitária. Elas possuem uma fanpage (www.facebook.com/cabelegria) onde explicam de que forma pode ser feita a doação de cabelo. Tudo muito simples.

Além disso, neste canal também mostram a felicidade das crianças que recebem suas perucas, muito felizes!

Cabelegria

Eu tomei a decisão de doar após ter na família um caso de câncer de mama descoberto através de auto exame, numa prima com 34 anos. Ela se submeteu ao tratamento e esta na fase da quimioterapia.

Foi um susto grande, mas ela imediatamente transmitiu o desejo de doar seu próprio cabelo.
 
Como estava muito atribulada pensando nos cuidados que deveria tomar durante seu tratamento e quimioterapias, ela me pediu para procurar lugares que aceitavam a doação do cabelo em São Paulo. Quando fiz isso, brotou no meu coração um desejo imenso de fazer o bem para alguém, que receberia meu cabelo e com isso ter sua auto estima e beleza renovada!

Para doar você precisa cortar o cabelo com medida mínima de um palmo (cerca de 10 cm) não tendo importância se o cabelo tem química. É essencial que antes de cortar o cabelo seja AMARRADO, e esteja seco (pois se armazenar ele úmido , ele irá mofar).

04

Com isso feito, basta enviar um sedex via Correios (como não é uma carta os Correios só enviam se for sedex). Anote o endereço:

Avenida Parada Pinto, 3420, Bl. 06, Ap. 33

Vila Nova Cachoeirinha – CEP: 02611-001 – São Paulo/SP

01

As meninas do Cabelegria estiveram no Caldeirão do Huck no dia Internacional da Mulher, o mesmo dia que escolhi ir até o salão cortar minhas madeixas e renovar o visual , além de contribuir com uma ação de cidadania tão generosa e especial.

Fazer o bem, sem olhar a quem, alimenta o coração de gratidão e felicidade.
Experimenta e conta para gente como se sentiu! 🙂

Por Tatti Maeda @kittytatti / @socialmedia_s2

A solidão também nos pertence.

Ouvir alguém dizer que não tem perfil no Facebook, Instagram ou LinkedIn pode soar estranho hoje em dia. Afinal, vivemos tão acostumados com os likes e as solicitações de amizade piscando na tela dos nossos celulares que esquecemos um pouco do mundo lá fora.

solidao

Acreditamos na maioria das vezes que estar conectado é melhor e nos faz ficar mais próximos um do outro. Mas será mesmo que estar online o tempo todo é melhor (e saudável)?

A proposta desse post não é negar completamente o meio digital, o que está em pauta é a importância que damos ao meio online e quase nada para o meio “offline”. Estamos deixando de lado uma lição valiosa de convívio e tolerância com o próximo, de aprendermos a ser realmente sociáveis, já que ao vivo não dá pra editar a conversa ou fingir expressões. Mais que isso, estamos ignorando a oportunidade do autoconhecimento: de não ter medo de ficarmos sozinhos.

solidao5

solidao6

Na animação The Innovation of Loneliness (A Inovação da Solidão, em tradução livre) é um convite para refletirmos sobre esta nova era de conexões que estamos criando. Aquela frase “Vida é o que se passa quando você está no celular.” nunca foi tão verdadeira.

Por Ana Talavera

 

Iniciativa de estudantes chilenos fazem com que cachorros de rua se destaquem em meio à multidão na busca por atenção.

Na correria das grandes cidades, muitas coisas acabam passando desapercebidas aos nossos olhos. O que “dirá” então os animais de rua que muitas vezes são abandonados e desprovidos de toda atenção de que merecem.  Considerando este fato é que dois estudantes chilenos, Violeta Caro e Felipe Guzman, decidiram amarrar balões coloridos em cães de rua com mensagens simples, mas que traduzem tudo o que esses animais gostariam de pedir às pessoas tão apressadas: “Me abrace”, “Brinque comigo”, “Não me deixe” e “Não me maltrate”. Estoy aquí. Através desta simples ação, as pessoas enfim perceberam os animais e passaram a agir em relação aos pedidos escritos nos balões, fazendo a alegria dos cães que há muito tempo não sentiam este calor humano. Estoy aquí. Estoy aquí. Esta ação não proporcionou apenas o bem aos animais, mas também a quem estava doando este tempo e se distraindo com a brincadeira. Porém o mais importante foi o fato de se levantar essa questão sobre o abandono de animais domésticos nas ruas das metrópoles. É incabível que ainda hoje pessoas adquirem animais domésticos e após se cansarem da companhia simplesmente o descartem como objetos.  Assista o vídeo a seguir e veja esta bela iniciativa na prática. 😉 #criativosdobem Estoy aquí. Por Karina Giardelli

Perder peso e resolver a desnutrição mundial? É possível.

O Projeto Weightless é uma iniciativa que preenche a lacuna existente entre a obesidade e a fome, tudo em uma tentativa de tornar o mundo um lugar mais saudável. A intenção é construir uma rede mundial de pessoas que podem ajudar a encontrar a solução para desnutrição, utilizando criatividade, conscientização e saudabilidade.

É a oportunidade de chegar na melhor forma de sua vida, ajudando os outros. Não consigo pensar em um melhor incentivo para começar a queimar massa gorda e ganhar massa magra!

Foto do Site

A obesidade é sempre um assunto delicado mas neste caso, o projeto se destina a proporcionar encorajamento a aqueles que normalmente não sentem a necessidade ou motivação para entrar em forma, mas entendem que o excesso que faz mal pode ser o mínimo para muitos.

Funciona assim: conforme as calorias estão passando por seu rastreador de fitness wearable, as doações são fornecidas. O serviço funciona a partir de seu cadastro no site e para cada 1.000 calorias que você queima, há uma doação de US$ 1,00 ao programa de ajuda alimentar da instituição que você escolher.

E aí… bora entrar em forma??? 🙂

Veja o vídeo:

por Leandro Bianchi

A lindeza da pureza nas crianças

A lindeza da pureza que detecta nas coisas mais simples as mais importantes da vida. Kayden tem 15 meses e pela primeira vez sente a chuva em seu rosto.

Se dizem que banho de chuva lava a alma, eu não precisei me molhar para sentir isso. Muita sensibilidade por parte do videomaker. É lindo!

Click na imagem para ver o vídeo:

por Leandro Bianchi

Vaquinhas saltitam de alegria pela liberdade e o direito de viver.

Um vídeo que emociona e nos faz pensar profundamente sobre o assunto, chegando a gerar empatia por essas amigas quadrúpedes.
     
Neste post não queremos falar sobre comer ou não comer carne. Acreditamos que ser ou não ser vegetariano é uma opção individual, mas preocupar-se sobre as questões que envolvem fazer o bem às pessoas, ao meio ambiente em que nos encontramos e pensar de maneira ecossocial, incluem também falar sobre o respeito com os animais.
     
Nosso interesse de falar sobre educação alimentar vai além dos seus  hábitos. Queremos que pense sobre como é produzido o alimento que chega à sua mesa. De que maneira usamos e abusamos de nossa superioridade intelectual e capacidade de se organizar em grupo para sucumbir às outras espécies de seres vivos do planeta. Que energia desprendemos nisso e qual energia recebemos de volta por isso. Queremos apenas levantar uma questão que se faz necessária a análise para refletirmos e, quem sabe num futuro próximo, chegar a soluções mais dignas a todos e a tudo.
     
Neste post divulgamos o trabalho de Anke Heublein, fundadora de uma ONG que dá liberdade e cuida até a morte natural das vaquinhas que deram leites e bezerros durante toda a vida, e que após se tornarem incapazes de continuarem nesta função são simplesmente descartadas, as vezes até de maneira violenta, por motivo dos custos em mantê-las.
     
É tocante o momento aos 0:45 segundos, quando a autora do projeto se emociona ao falar sobre o instante da liberdade dos animais, mostrando sua real essência e o que a moveu para tomar essa atitude.
 
Não se trata do que se deve ou não comer, trata-se do respeito à vida e a alma, tanto nossa como a dos outros animais.